top of page
  • Foto do escritorHebert Silva Araújo

ScrollGestão coletiva: entre números positivos e muitos desafios

meu papel de presidente do Conselho de Administração da Cisac - Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores



No meu papel de presidente do Conselho de Administração da Cisac - Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores -, que reúne 225 sociedades de 116 países, tenho a oportunidade e a responsabilidade de conviver ainda mais de perto com os temas fundamentais da gestão coletiva global. Numa visão objetiva dos últimos anos, felizmente o mercado mundial se recuperou. Agora, estamos quase 20% acima do nível de arrecadação anterior à pandemia (em 2019).

O último relatório global da Cisac, disponível no site da entidade e no da UBC, mostra a evolução significativa que nosso setor teve no ano passado, na distribuição de valores para os titulares de direito, razão da atividade e de nossos esforços e empreendimentos. Todas as indicações são de que essa tendência positiva de 2023 terá sequencia em 2024, apesar de certa imprevisibilidade futura dos inúmeros desafios enfrentados (inflação, guerras, instabilidade econômica, bipolaridade política em muitas regiões).

Em nível nacional, no Brasil e na UBC, nossa situação reflete e repete de certa maneira os números globais: do crescimento expressivo em todas as frentes da distribuição geral ao valor recorde histórico de liberação de retidos (mais de R$ 100 milhões), o que reitera nosso compromisso com a entrega e processos de tecnologia empregados por nossas equipes. Em linhas gerais, o relatório da Cisac mostrou:

• Arrecadação recorde no geral: € 12 bilhões para todos os repertórios combinados, audiovisual, teatro e artes plásticas, sendo € 10 bilhões para música.

• A maior taxa de crescimento ano a ano, quase 27%, em 2023.

• Todas as regiões mostram crescimento, sendo que o maior deles foi na América Latina: mais de 66% ano a ano.

• O maior impulsionador do nosso crescimento é o digital.

• O digital agora é a maior fonte de renda para as sociedades - 35% de toda a renda global.

• Desde o início da pandemia, as arrecadações digitais dobraram globalmente - estão 100% acima de 2019.

• Outras fontes de renda estão estáveis - transmissão e apresentações públicas, notadamente os shows, que no caso do Brasil cresceu de forma vertical, dos grandes festivais ao pequeno local.

O que requer muita atenção e trabalho para o futuro imediato é a questão da inteligência artificial, como licenciar nosso conteúdo para plataformas de IA e como lidar com o registro e licenciamento de obras de IA. Alentador saber que estamos todos alertas, pressionando os governos para uma legislação que não iniba a inovação, mas respeite a autoralidade de nossos titulares e a singularidade e remuneração justa dos criadores. A legitimidade de representação de mais de 4 milhões de criadores permite e exige da Cisac um papel de atenção aos próximos desdobramentos e suas repercussões na vida de todos nós.

  • Diretoria

  • Paula Lima (Presidente),

  • Aloysio Reis

  • Fernanda Takai

  • Geraldo Vianna

  • Manno Góes

  • Marcelo Falcão

  • Wilson Simoninha

  • Diretor-executivo

  • Marcelo Castello Branco

  • Coordenação editorial

  • Mila Ventura

  • Assistente de coordenação editorial

  • Pedro Henrique Guzzo

  • Akemy Morimoto

  • Projeto gráfico e diagramação

  • Crama Design Estratégico

  • Editor

  • Alessandro Soler (MTB 26293)


2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page